FOLLOW US HERE: 

© 2015 by Paulo Roberto. 

  • Facebook Clean

SHAOLIN CHAN ESCOLA DE KUNG FU

A Shaolin Chan Kung Fu escola de kung fu surgiu da vontade do Prof. Paulo Di Nizo em compartilhar seu conhecimento  no estilo Shaolin do Norte.

Praticante de kung fu desde 1989, graduou-se em Educação física pela Unicamp (Bacharelado em 2000 e Licenciatura 2001) e concluiu pós graduação no ano de 2003 em Treinamento Esportivo pela mesma instituição.

A Escola destina-se ao ensino do kung fu Tradicional Shaolin do Norte, Sanda e Tai Chi Chuan.

ESTILO SHAOLIN DO NORTE

Pak Siu Lam Mun Kuen – Shao Lin do Norte

(Bei Shao Lin Men Quan)

 

Um dos estilos mais famosos e conhecidos, o Shao Lin Norte foi criado a

partir de técnicas desenvolvidas dentro do Mosteiro Budista de Shao Lin.

 

Fundado em 495 pelo Imperador Xiao Wen ( 471 a 500), o mosteiro de

Shao Lin foi construído bem próximo a uma floresta ( Shao = jovem;

Lin = floresta) no sopé da montanha Song, na província de Henan, entre

as cidades de Zhengzhou e Luoyang (antiga capital do império chinês),

ao norte do Rio Amarelo (Huang He).

O primeiro abade foi o monge indiano Badhra ( Batuo), e o único propósito do mosteiro de Shao Lin era de se tornar o mais importante centro para o estudo, desenvolvimento e ensino do budismo em toda a Ásia. Considerado também como centro de peregrinação, o mosteiro de Shao Lin recebeu monges budistas de toda a Ásia (Índia, Ceilão, Pérsia).

 

No que diz respeito às artes marciais chinesas e o mosteiro de Shao Lin existem muitas lendas; a mais conhecida é da passagem do monge Bodhidharma (Damo) pelo mosteiro. Vigésimo oitavo patriarca do budismo Mahayana (Grande veículo) e primeiro patriarca do budismo Chan (Zen), Bodhidharma nasceu no Ceilão, dentro de uma família nobre, converteu-se ao budismo e mais tarde tornou-se aluno de Prajnatara. Bodhidharma chegou a China em 475, peregrinou por diversos templos ao sul e recolheu-se ao mosteiro de Shao Lin, por volta de 520, para substituir o então abade Bodhiruci.

 

Bodhidharma ensinou aos monges de Shao Lin os primeiros exercícios respiratórios para aumentar a resistência física e concentração exigidas pelos longos períodos de meditação. Alguns afirmam que mais tarde estes exercícios, combinados a técnicas de combate praticadas na região dariam início as primeiras formas de arte marcial de Shao Lin.

 

Depois de anos e anos de história, os monges de Shaolin aprenderam técnicas de combate corporal e de armas e desenvolveram técnicas próprias que os tornaram conhecidos e temidos. Os ensinamentos eram reservados aos monges, mas em 1650 o então abade Chiu Jin permitiu que leigos aprendessem alguns estilos reservados aos monges. Um dos primeiros destes leigos foi Kan Fon Si, que mais tarde tornou-se um herói na história da China pela luta contra a opressão dos Qing.

 

O legado marcial de Gan Fenchi passou por quatro gerações até chegar a Ku Yu Cheong, que aprendeu as técnicas oriundas de Shaolin com um amigo do pai. Ku Yu Cheong se tornou famoso pela sua técnica de “palma-de-ferro” e ingressou como instrutor na Academia Central de Nanking em 1928. Lá aprendeu Tai Chi Chuan , Pa Ki e espada Wudang com Li Kin Lam, e Pa Kua e Xing Yi com Sun Lu Tang.

 

Mais tarde Ku Yu Cheong foi convidado a representar a Academia Central em Cantão juntamente com outros mestres famosos. Mais tarde abriu a sua própria escola e resolveu dar o nome “Shaolin do Norte” às técnicas que ensinava; a explicação para o nome era porque o estilo reunia somente os melhores estilos do norte da China, como: “As dez rotinas de Shaolin”, Tai Chi, Pa Kua, Xing Yi, Tan Tui, Cha Quan, as armas e o chikung “Pequeno sino de ouro”.

 

Ku Yu Cheong teve diversos alunos, dentre os quais Yim Sheung Mo se destacou consideravelmente. Yim Sheung Mo treinou diretamente com Ku Yu Cheong e pode aprender Lo Hap e Chi Yi Mun (Zi Ran Men) com Mong Lai Sin. Yim Sheung Mo residiu até o final da sua vida em Hong Kong , onde ensinou a muitos alunos. O que mais se destacou foi Chan Kowk Wai, representante do estilo Shaolin do Norte.

O estilo principal – “As Dez rotinas de Shaolin” – se divide em formas de mãos e armas, perfazendo um total de dez formas de mão e mais de vinte e cinco armas diferentes, cada uma com uma ou duas formas aproximadamente. Suas características marcantes são ataques longos e curtos, de mãos e principalmente de pés, cotovelos, rasteiras e quedas. A força e técnica empregadas nos movimentos denotam a eficiência sendo considerado o mais completo de todos os estilos de arte marcial chinesa.

GRADUAÇÃO

O sistema de graduação da Shaolin Chan tem por objetivo organizar o aprendizado técnico do aluno da forma que esse possa desenvolver seu aprendizado marcial de forma adequada. Assim, partindo das técnicas mais simples para as mais elaboradas, o que permite o desenvolvimento gradual das habilidades físicas necessárias para execução de cada técnica.

 

Sistema de Graduação

MODALIDADES

Wushu Tradicional

Dentre os diversos sistemas que foram ensinados no Templo de Shaolin,

está as 10 mãos de Shaolin. Tal sistema foi transmitido pelo Abade Zhao

Yuan a Gan Fen Chi, do qual tornou-se muito famoso na China, um herói

de sua época. Gan Fen Chi teve Wang Bang Cai como aluno, que por sua

vez, ensinou a Yan De Gong. A partir deste momento, tais técnicas foram

passadas de geração a geração dentro da família Yan. Yan De Gong passou

todo o seu conhecimento em Shaolin a seu filho Yan San Shou que seguiu

o exemplo de seu pai e também transmitiu sua arte a seu filho Yan Ji Wen.

Ji Wen era famoso por seu serviço de escolta de caravanas e numa ocasião,

após enfrentar problemas com bandidos, foi ajudado por Gu Li Zhi (grande

mestre de Tan Tui), e deste episódio nasceu uma grande amizade. Como

retribuição do favor prestado por Gu Li Zhi, Yan aceitou Ku Yu Cheung

(Gu Ru Zhang), o filho de seu amigo, como aluno e herdeiro de toda herança

Shaolin que havia estado em sua família por gerações.

Ku Yu Cheung tornou-se um grande mestre de sua época e muito famoso

por suas demonstrações e técnicas, tendo assim a oportunidade de aprender

vários estilos com mestres renomados.

Após alguns anos lecionando, abriu sua própria escola de artes marciais e lá desenvolveu um programa de treinamento para o que havia aprendido em todos estes anos de artes marciais, ficando conhecido como a “escola” de Shaolin do Norte.

Yim Sheung Mo, um de seus alunos e herdeiro do estilo teve como sucessor Chan Kowk Wai, introdutor da arte na América do Sul.

O Shaolin do Norte mantém como base as 10 mãos de Shaolin e conta com formas e técnicas adicionais como Luo Han, Liu He, Zha Quan, Tan Tui e outras. O aluno tem também a disposição o aprendizado de inúmeras armas, podendo chegar a mais de 20 tipos. As principais e mais conhecidas são: bastão, facão, espada e lança. Como parte do treinamento há exercícios de Qi Gong chamado de Sino de Ouro e a Palma de Ferro. E é tal repertório marcial que é ensinado hoje aos alunos de Shaolin do Norte.

As 10 mãos de Shaolin preserva a arte marcial do Tempo Shaolin, unindo eficácia e beleza nos movimentos. Estão divididas em 10 formas de mãos, cinco curtas e cinco longas. No estilo encontram-se técnicas de mãos, aprisionamentos e ênfase nas técnicas de pernas, tendo o mais variado arsenal de chutes, chutes com giros e saltos, rasteiras, quedas e chutes múltiplos. É ensinado combate simulado para desenvolver a coordenação, reflexo e noções de distancia em uma luta, podendo ser tanto de mãos como de armas.

SANDA ( Sandá - Boxe Chines )

Sanda, antes conhecido como Sanshou, é o esporte de contato do Kung fu/wushu

e que rapidamente ganhou popularidade entre os artistas marciais e lutadores. No

Brasil é conhecido também como boxe chinês. O Sanda tem suas raízes na aplicação

real das técnicas do kung fu/wushu. Na China antiga eram feitos torneios e combates

sobre uma plataforma elevada do chão, sem cordas, onde não haviam regras,

chamadas de “Lei Tai”. No lei tai haviam três maneiras de se ganhar: jogando o

adversário fora da plataforma, nocauteando-o ou ele desistindo (o que era pouco

provável). Em 1928,  durante as eliminatórias do Exame Nacional de Artes Marciais

de Nanjing, as lutas foram se tornandocada vez mais violentas que os organizadores

decidiram por encerrar antes mesmo da grande final, com o medo de que algum

mestre famoso morresse. Assim classificaram e premiaram os 15 finalistas.

Desde o princípio a luta corpo-a-corpo é base do kung fu/wushu, sua quinta-essência.

Mas com a chegada da sociedade moderna, leis e a maneira de encarar um combate

se fizeram necessárias mudanças para que o Sanda continuasse como parte integral do kung fu/wushu. Foi então que se estabeleceu como um moderno esporte de combate, criando-se regras que garantiam mais a integridade física do lutador e o uso de equipamentos de proteção.

Desenvolvido na mesma época do wushu moderno (olímpico), utiliza chutes, socos e projeções (quedas) e todas as sua variações. O lutador pode vencer por nocaute ou por pontos, computados durante a luta por árbitros. A luta tem a duração de 2 rounds de 2 minutos com intervalo de 1 minuto, sendo prorrogado por mais um round se necessário.

Nos últimos anos o Sanda cresceu em todo o mundo, campeonatos, torneios e lutadores vêm se profissionalizando, principalmente na China e EUA. Nestas lutas profissionais, conhecidas com “sanda”, as regras são diferentes e não há o uso de protetores de cabeça e tórax nem caneleira.Sanda desenvolve um grande trabalho cardio-respiratório, defesa pessoal, coordenação e flexibilidade, condicionamento físico e mental.

TAI CHI CHUAN

Criado na China, o Tai Chi Chuan conquistou praticantes em todo

o mundo. Um dos atrativos dessa arte marcial caracterizada por

movimentos lentos e harmônicos foi o de que ela reduz o stress

e contribui para a melhora da saúde. Em 1200 d.C. o monge Taoísta

Chang San-feng fundou um templo na Montanha Wu-tang, para a

prática do Taoísmo, visando o supremo desenvolvimento da vida

humana. Mestre Chang enfatizou a harmonia do Yin/Yang como

um meio de melhorar o desenvolvimento da mente e da habilidade

física,  a meditação natural, bem como, movimentos naturais do

corpo propulsados por uma energia interna que deveria ser

desenvolvida a certo nível de aquisição. Este complexo sistema

de práticas recebeu o nome de Tai Chi Chuan. Na época, o Tai Chi Chuan também foi criado com propósitos

de combate, como uma arte marcial o desenvolvimento externo e interno. Mas com o passar dos séculos esta função foi diminuindo e se colocou mais ênfase nos propósitos relativos ao desenvolvimento da saúde. Tai Chi significa “o supremo”. Isto significa melhorar e progredir em direção ao ilimitado; significa a existência imensa e o grande eterno. Os verdadeiros e dedicados mestres permaneciam nas montanhas e junto com seus seguidores levavam uma vida monástica com o objetivo de manter a arte pura. Eles meditavam e praticavam diariamente para elevar o espírito, a condição da mente, disciplinar o corpo e elevar a essência. Desta forma, o sistema original foi preservado mais ou menos intacto, com as disciplinas da mente e do corpo sendo incluídas no treinamento.

Desde um grande esforço e concentração, como firme dedicação, eram requeridas para se atingir qualquer nível de evolução no Tai Chi. Um sistema monástico rapidamente se desenvolveu e participar disto tornou-se um privilégio exclusivo. Aqueles que atingiram altos graus tornaram-se líderes do sistema e, seguidos por seus entusiastas, eles formaram um relacionamento de treino único entre mestre e discípulo.

Alguns benefícios da pratica do Tai Chi Chuan:

 

·         Os movimentos lentos dos braços e das pernas estimulam a capacidade de concentração do praticante.

·         A respiração profunda, lenta e calma ajuda a relaxar e regular os batimentos cardíacos e a diminuir o stress.

·         Os exercícios fortalecem as articulações

·         O fato de a atividade ser praticada em pé e de forma lenta treina o equilíbrio do corpo.